Aliados salvam Temer pela segunda vez - Alice Portugal
Twitter Facebook Rss Nosso Canal de Vídeos no Youtube

Aliados salvam Temer pela segunda vez

Notícia Postada em 26/10/2017 as 13:03:41 hs
por: Ascom
Bancada comunista lamenta resultado da votação da segunda denúncia contra Temer e promete permanecer na luta em defesa dos direitos dos brasileiros.
 
 
Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados
 
 
Depois de mais de 12 horas, num dia marcado por obstrução de opositores e falas de aliados em defesa da agenda golpista de Temer, a compra de votos ganhou. Por 251 votos contra 233, duas abstenções e 25 ausentes, Michel Temer se salvou pela segunda vez e ainda beneficiou os ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Moreira Franco, da Secretaria-Geral.
 
Todos foram denunciados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) pelos crimes de obstrução de justiça e organização criminosa, mas com o resultado, só poderão ser investigados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) após o fim do mandato.
 
“É um achincalhe com a população essa Câmara não ter autorizado o processo. Temer, o mestre das tramas, comprou parte do Plenário, vende o Brasil e fere de morte os direitos sociais. O que nos cabe é mobilizar a população, pois não bastam as redes sociais”, afirmou a líder comunista, Alice Portugal (BA).
 
Assim como na primeira denúncia, muitos deputados da base dedicaram seus votos à “estabilidade política e honestidade de Temer”, ignorando as provas trazidas pela denúncia da PGR, outra, porém, não saiu de um rápido “sim”, visto que não havia justificativas plausíveis para a rejeição do andamento da investigação. “Os deputados sérios e compromissados querem a permanência de Temer”, defendeu Wladimir Costa (SD-PA), que na primeira denúncia chegou a tatuar com hena homenagem a Temer no ombro.
 
Demagogias a parte, a salvação de Temer não saiu barata. Cálculos divulgados na imprensa dão conta que a negociação para barrar as duas denúncias criminais contra o presidente da República custou aproximadamente R$ 32,1 bilhões. O valor leva em conta as diversas concessões e medidas do governo negociadas com parlamentares da Câmara entre junho e outubro, desde que Temer foi denunciado pela primeira vez, por corrupção passiva, até a votação desta segunda acusação.
 
O “investimento” em sua manutenção no cargo superou, por exemplo, os recursos destinados pelo governo de Temer para pagar o Bolsa Família em 2018. O programa de complementação de renda foi orçado em R$ 26 bilhões para o ano que vem, R$ 6 bilhões a menos que os pagamentos da salvação da pele do peemedebista.
 
Para o deputado Rubens Pereira Jr (PCdoB-MA) este é o retrato fiel do governo Temer, um governo que não “tem dinheiro para saúde, educação, mas que, infelizmente, para comprar votos teve”.
 
Agora, com o resultado favorável, Temer deve retomar a pauta de retirada de direitos e tentar avançar com a famigerada Reforma da Previdência, por exemplo.
 
Para a presidente nacional do PCdoB, deputada Luciana Santos (PE), esta era a chance de “barrar a agenda ultraliberal que vem sendo apresentada por Temer”. No entanto, disse a parlamentar, “apesar do revés”, a bancada comunista “continuará lutando pelos interesses da população”.
 
Fonte: PCdoB na Câmara

Mais Notcias

AGENDA

Contatos

Gabinete em Braslia-DF
Cmara dos Deputados - Anexo IV - Gab 420 - CEP 70160-900
Fones: (61) 3215-5420 / (61) 3215-3420 -
Fax (61) 3215-2420

Escritrio Poltico em Salvador-BA
Avenida Anita Garibaldi
Edifcio Ernesto Weckerle, n 1279, Sala 302.
Federao - Salvador Bahia - CEP 40210-750
Fone: (71) 3331-5792 / Fax (71) 3237-5294
imprensa.aliceportugal@gmail.com